sábado

Como fazer para evitar erros importantes ao passar as roupas

A ideia não é apenas ter como resultado uma roupa bem passada, mas, também, evitar situações que possam comprometer tanto a ‘cara’ da roupa como sua durabilidade, ou seja, garantir-lhe melhor conservação.

Estas são situações relativamente simples e que podem acontecer com ‘certa naturalidade’ no cotidiano. A ideia é observá-las com atenção.

Confira.
 - Deixar as roupas delicadas por último
Os ferros demoram mais para esfriar do que para aquecer, então comece com materiais que precisam de temperaturas mais baixas, como poliéster e seda. Depois, passe as peças de algodão e linho. Caso faça o contrário, você corre o risco de derreter ou marcar o tecido.
 - Não usar a temperatura correta do ferro
Para passar as roupas em segurança e tirar todos os amassadinhos é preciso controlar a temperatura do ferro. Cada tipo de roupa exige o ferro em determinada temperatura. Se a peça for feita de vários de tecidos, selecione a opção do seu aparelho indicada para o mais delicado. Isso ajudará a preservar a peça como um todo.
 - Não limpar o ferro
Fibras derretidas e resíduos de roupas que ficam na base do ferro podem manchar os tecidos. Para higienizar, passe uma pasta de bicarbonato de sódio na base do ferro desligado e frio ou use apenas um pano umedecido com detergente neutro. Espalhe um pouco de lustra-móveis na superfície se quiser que ele deslize mais.
Leia também: Como fazer para passar roupas mais facilmente com algumas dicas simples
 - Sujar a roupa com o ferro
Alguns ferros têm a opção de adicionar água em seu reservatório para criar vapor. É preciso colocar apenas quantidade de água indicada, já que o excesso pode fazer ela respingar e transferir alguma sujeira do ferro para a sua roupa.
 - Guardar o ferro com água dentro
Sempre esvazie o reservatório de água do ferro antes de guardá-lo, principalmente se você deixa ele apoiado na própria base. Isso evita que a água em excesso danifique as partes internas do aparelho ou vaze por baixo, oxidando a base do ferro. Também não coloque amaciantes e outros produtos, que podem estragar o equipamento e levar à perda da garantia do fabricante.
 - Passar peças que são muito leves
Para peças de tecidos mais fluidos e soltos, como o musseline e gazar, use um vaporizador manual, que não marca e derrete a roupa. Se quiser usá-lo com tecidos mais pesados, onde o vapor não consegue penetrar, basta virar a peça do avesso e vaporizar em ambos os lados.
 - Passar roupa que já foi usada uma vez
Roupas que já foram usadas não devem ser passadas novamente. Elas podem acabar ficando com manchas que não sairão mais e malcheirosas. O calor do ferro faz com que toda a sujeira que está na roupa se agarre ao tecido.
 - Passar o ferro quente nos botões
Passar o ferro diretamente sobre os botões pode fazer com que eles caiam. O correto é abrir a camisa na hora que for passar a parte onde ficam os botões, e passar pelo lado avesso da peça. Também tenha atenção para usar o ferro entre um botão e outro.

Com informações de CasaAbril 

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

segunda-feira

Como fazer para garantir a segurança em seus hobby’s e trabalhos


Quem tem, e usa, sabe que as ferramentas devem se bem afiadas, o que facilita qualquer trabalho, assim como, a depender do caso, garante a qualidade do que se está fazendo – ou usando a ferramenta –, logo é um fator desejável.

As boas ferramentas usadas na marcenaria, por exemplo, e outros trabalhos na área, costumam ser bem afiadas e extremamente cortantes, podendo causar acidentes irreversíveis, graves até.

Em função disso, as crianças devem ficar sob atenta supervisão quando estiverem ‘por perto’.
Leia também: 
 - Como fazer para não fazer gambiarras no ‘fazer você mesmo’ 
 - Como fazer para melhorar a concentração no trabalho segundo a neurociência 
 - Como fazer para sair do improviso/insegurança e organizar seus fios e tomadas em casa
Quanto a você, mantenha-se seguro e a depender do caso use luvas protetoras e nunca trabalhe distraído ou muito cansado.

As crianças que devem ser iniciadas em nossos hobby’s precisam da convivência e do contato, sobretudo durante a execução de algum trabalho/tarefa, logo, é preciso supervisionar e evitar o seu contato com as ferramentas que têm um potencial para acidentes.

Além de orientar o ‘como fazer’ e a melhor e mais segura forma de usar as ferramentas, a ideia de providenciar ferramentas para as criançasespecíficas, é bem oportuna e funciona como mais um fator de estímulo, isto sem falar no aspecto segurança.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sábado

Como fazer para incorporar suas tomadas e interruptores à decoração da casa

Já publicamos aqui sobre como decorar suas tomadas/interruptores, dando-lhes um visual mais artístico, ilustrado e saindo daquela mesmice cinzenta usual, quando só percebemos uma tomada ou interruptor, na hora em que precisamos deles, no mais são ilustres desconhecidos.
Leia também:  
 - Como fazer para dar um toque de decoração e beleza as suas tomadas e interruptores  
 - Como fazer para decorar com criatividade aos interruptores em sua casa
Para disfarçar um fio exposto
 A ideia é incorporá-los como um detalhe a mais em seu conceito/ideia de decoração, por mais simples ou despretensiosa que seja.

Nas imagens vai ver que pode ser uma boa ideia.
Se não é lá muito chegada (o) aos ‘felinos’, digamos assim, é só usar a criatividade e fazer do seu jeito.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*


Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer para não fazer gambiarras no ‘fazer você mesmo’

É, parece bem simples... O improviso... Ou a velha gambiarra... Mas, tem situações onde não funciona, mesmo... O risco é real... Na parece, mas é mais comum – o uso e o risco/acidente – do que se imagina.
Confira: 
 - Como fazer para sair do improviso/insegurança e organizar seus fios em casa 
 - Como fazer para usar uma extensão elétrica com eficiência e, sobretudo, precisão
Fazer as coisas em casa, ‘nós mesmos’, é tudo de bom, mas, não dá para deixar de lado o bom senso, o cuidado e um mínimo de segurança e racionalidade.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

domingo

Como fazer um cachepô bem original com as ‘pernas’ de sua calça jeans descartada

Muitas ideias interessantes já foram sugeridas aqui para reaproveitar os jeans descartados. Veja abaixo.

Esta é uma forma de reaproveitar as pernas de uma calça jeans, já que, pelo menos em tese, seria ultima parte a se deteriorar de vez, não é verdade?

Se bem que calça jeans ‘estragada... ’ costuma estar na última moda, sempre...

Como pode ver na imagem, é um cachepô.
Veja também: 
 - Como fazer uma bela almofada para presentes com jeans usado 
 - Como fazer um suporte original “jeans” para a segurança de seu celular ao carregar 
 - Como fazer um avental usando uma calca jeans descartada 
 - Como fazer uma linda bolsa com um jeans ‘fora de serviço’
É só cortar na altura em que considera boa para o cachepô, inverter, fechar com uma costura e deixar a barra original da calça para fazer a borda. Neste caso, dobrada pelo avesso, ficou original, aproveitando detalhes interessantes próprios da calça.

Como pode ver, mais fácil impossível. E o resultado é muito bem, não é verdade? Daí é só providenciar um ‘pratinho’ próprio para vasos de plantas e decorar o seu espaço com esta boa ideia de sua autoria.

Obs. O interessante é que com uma única calça jeans, dá para aproveitar com mais de uma das ideias sugeridas acima.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sexta-feira

Como fazer para ‘dar uma limpeza’ devida no teclado do seu computador

Já publicamos antes alguns artigos que tratam de cuidados, manutenção e limpeza do computador em todos os seus componentes. Embora pareça meio redundante, este é bem simplificado e trata especificamente de teclados.

É o que vai conferir abaixo, além de – nos links sugeridos – você poder conferir como dar um trato nele como um todo.

É isso, geralmente só nos lembramos de limpar o teclado quando ele começa e falhar, emperrar teclas e atrasar ou comprometer a nossa digitação, daí é hora, mesmo, de dar um trato e limpar o dito cujo.

Com o tempo de uso, muitos resíduos, partículas, se acumulam entre as teclas e/ou sob elas, além da camada gordurosa e empoeirada que se acumula gradualmente nas teclas, aliás, bem visíveis
Confira também: 
 - Como fazer para limpar, cuidar e garantir a eficiência do seu computador 
 - Como fazer para limpar e ter a visibilidade perfeita de suas telas de LCD 
 - Como fazer para confirmar a qualidade do serviço e a vida útil de seu computador
O primeiro passo – antes deve desligar computador e desconectá-lo – é sacudir o teclado de cabeça para baixo, com jeito, mas com firmeza, quando as partículas as quais nos referimos acima, devem cair, embora você possa fazer um reforço no trabalho utilizando o aspirador de pó.

Quanto à oleosidade que se acumula sobre as teclas, use um tecido levemente embebido em uma solução fraca – água e detergente – e passe levemente sobre cada tecla, sobretudo nas laterais, onde a oleosidade se concentra. Mas, caso a “sujeira” não seja tanta assim, basta um pano embebido em água morna.

Um lembrete. O ideal é que tecido não tenha ‘fiapos’ para que não liberem no processo. Um pedaço de flanela pode ser o ideal, macio e suave.

No final é só fazer uma secagem geral com uma flanela seca.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quarta-feira

Como fazer para guardar e proteger melhor seus serrotes e serras

A forma de guardar as ferramentas é bem previsível, ou seja, em uma caixa própria onde elas fiquem não só protegidas como acessíveis diante de uma necessidade mais súbita.

É claro, isto se você não tem um local – um quartinho próprio – onde você desenvolva suas atividades de marcenaria e outros trabalhos e elas podem ficar mais acessíveis e não necessariamente acondicionadas em caixas.

É o caso dos serrotes, quando o ideal mesmo é deixá-los pendurados pelos cabos na parede próxima à bancada de trabalho e ao alcance da mão e uso.

Veja também Como fazer para afiar – ou amolar – facilmente os serrotes

Para isso tanto os serrotes convencionais, como o serrote de costa, e as serras de arco devem receber cuidados, como utilizar um protetor para as laminas, por exemplo, o que vai manter os dentes bem protegidos.

O protetor pode até ser improvisado com um pedaço de mangueira cortada no tamanho adequado para proteger os dentes, como uma capa. Deve, também, untá-los, ou lubrificar, com um pouco de “óleo de maquina” para proteger contra a ferrugem.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para companhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

segunda-feira

Como fazer para dar um trato na concentração com algumas dicas da neurociência

O artigo não é lá muito novo desde sua primeira edição, mas, o que ele indica, dá dica, é muito atual e oportuno, haja vista que trata de alguns temas que tem tudo a ver com os nossos ritmos, ou melhor, com a organização e trato em nosso cotidiano.

Como viu no título, são dicas da neurociência que visam otimizar o nosso tempo, nosso trabalho e funções, também, ameaçadas, entre aspas, por um novo “cacoete” que virou ícone pós-moderno, ou seja, aquele de ficar passando o dedo no tal dos smarts/celulares, até dormindo, como se diz, já que não existe hora, lugar ou atividade onde ele não esteja lá...Presente!

Se à época de publicação do artigo o problema já era visível e objeto de estudos e análises avaliações científicas, hoje então...
“4 dicas da neurociência para melhorar a sua concentração
Do excesso de informações ao design dos escritórios, a rotina profissional está cheia de obstáculos para a concentração.

É injusto culpar apenas a tecnologia, o bode expiatório mais comum para justificar a distração. Usados com bom senso, recursos como apps e softwares podem ser grandes aliados para a produtividade.

O problema está no mau uso desses dispositivos, de acordo com Carla Tieppo, professora adjunta da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

A neurocientista afirma que as pessoas desenvolveram uma relação de dependência com a tecnologia. "É prazeroso checar as redes sociais ou trocar mensagens pessoais pelo smartphone", diz ela. "Para muita gente, esse hábito se tornou irresistível, como um vício".

As distrações, no entanto, causam um enorme prejuízo de tempo e energia. A cada interrupção, demoramos cerca de 23 minutos para voltar à nossa tarefa original, segundo uma especialista ouvida pelo Wall Street Journal.

Como então manter o foco? Não há solução mágica. Segundo Carla, as distrações só são vencidas pelo esforço e pela autodisciplina. “É preciso se policiar diariamente”, afirma ela.

Mesmo assim, a neurociência traz algumas orientações fáceis de implementar que podem ajudar os mais dispersos. Confira a seguir:
- Divida sua jornada de trabalho em fatias
Segundo Carla, o cérebro humano consegue se fixar num único objeto durante 50 ou 60 minutos. Depois desse período, a atenção inevitavelmente se esvai.

A dica é trabalhar ininterruptamente durante esse bloco temporal, e então fazer um intervalo de cinco a 10 minutos para checar mensagens do celular, acessar redes sociais ou levantar para tomar um café.

“A pausa ajuda a descansar as áreas ativas no cérebro até então”, explica a professora. Após esse breve período de relaxamento, você estará pronto para outra sessão de trabalho.
 - Mantenha-se bem alimentado durante todo o dia
Trabalhar em jejum não é uma boa ideia para quem busca concentração. Isso porque o sistema atencional requer uma grande quantidade de energia, segundo a neurocientista.

Durante a jornada de trabalho, é aconselhável ter sempre algo no estômago: tanto para que haja força suficiente no organismo para manter o foco, quanto para que o cérebro não se distraia com a fome.

Não é necessário ingerir grandes quantidades de alimento. Segundo Carla, basta uma barrinha de cereais ou um suco entre as principais refeições do dia.
 - Ouça música (que você já conheça) 
Fones de ouvido podem ser um recurso excelente para manter o foco. Além de reduzir o ruído ambiente, ouvir música pode trazer bem-estar. “Não é bom escolher um repertório ‘deprê’, o ideal é que ele seja leve e prazeroso”, diz Carla.

É importante que você não se envolva demais com a trilha sonora, apenas relaxe com ela. Por isso, a neurocientista recomenda escolher um repertório que você já conhece. Uma música nova exige mais atenção do cérebro, até para ele decidir se gosta dela ou não, por exemplo.

Uma sugestão é montar playlists com duração de 50 a 60 minutos, já que esse é o tempo máximo em que conseguimos prestar atenção ininterrupta. “Quando a música acabar, você já saberá que é hora de fazer a pausa”, diz ela.
 - Elimine a bagunça e o desconforto
De acordo com Carla, mesas de trabalho caóticas são “horríveis para o cérebro”. Isso porque o sistema nervoso tende a se espelhar no ambiente externo. “Se não há lógica do lado de fora, fica difícil se organizar internamente”, afirma.

É verdade que o caos pode ser um grande aliado na busca por criatividade e inovação. Mas, se o seu objetivo é terminar uma tarefa, é melhor manter a sua escrivaninha limpa e organizada.

A falta de cuidado com a ergonomia também pode gerar distrações. “A sua postura de trabalho deve ser correta e confortável, para que o seu cérebro não se concentre mais no cansaço do corpo do que no trabalho”, recomenda a professora.

Em Exame

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer ‘pazinhas de lixo’ multiusos, inclusive para ‘serviços’ de seus bichos

As imagens dizem tudo.

Para embalagens descartadas como estas, o ‘destino’ é a reciclagem, já que o lixo, como muitos ainda as direcionam, não é lá uma boa ideia, sobretudo para a vida em seu sentido amplo: a nossa, dos bichos... Do planeta como um todo, não é verdade?

Mas, voltando, o ‘seu bicho’ em casa pode ser assistido com uma pazinha assim, para dar um jeito em suas fraldas – fraldas aqui é um jeito elegante de falar cocô – que tanto facilita a coleta do ‘dito cujo’, como a posterior limpeza da pazinha.
Confira também: 
 - Como fazer para o seu cão ‘fazer’ o xixi/cocô no lugar certo 
 - Como fazer para evitar os latidos excessivos de seu cão 
 - Como fazer para eliminar manchas de xixi pela casa, feias pelo seu cão
Estas são boas garrafas – de amaciante ou desinfetante – por serem ‘quadrada’ e/ou 'triangular', tendo, portanto, tanto o lado ‘reto’ como o canto, é claro, o que facilita o corte com o designer sugerido.

Como pode ver, é simples e fácil. E vai fazer parte do ‘patrimônio’ do seu pet.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como fazer para montar sua caixa de ferramentas de ‘marceneiro’

Mesmo que sua marcenaria não seja lá, ‘aquela marcenaria’ no sentido literal, mas o local onde exercitamos nossas curiosidades e habilidades amadorísticas no trato com a madeira, mesmo assim, ela precisa de algumas ferramentas básicas para que, não só tornem possíveis nossas aventuras, mas, sobretudo, as facilitem.

Muitas vezes nos detemos em situações onde sentimos falta de alguma ferramenta mais específica para, não só facilitar, mas para tornar possível à própria qualidade do trabalho que estamos fazendo.

Daí a necessidade de uma lista mínima essencial que vai dar conta de qualquer trabalho que venhamos a ‘encarar’.

Veja esta relação abaixo. É uma boa lista que você pode ir completando gradualmente, começando por aquelas mais ‘usáveis’ e que dificultariam o improviso em algumas situações.

 - Alicate
 - Chave Philips 
 - Martelo
 - 
Formão
 - Punção ou Repuxo, usado para rebater – afundar, pregos
 - Serrote
 - Plainas
 - Escareador, para alargar buracos ou furos
 - Arco de Serra 
 - Brocas
 - Lâmina de Raspar ou Lâmina Raspadeira
 - Grampo de aperto rápido
 - Lima
 - Metro Articulado
 - Suta, ferramenta de medição de ângulos
 - Trena
 - Esquadro, para marcar e medir com precisão
 - Graminho, ferramenta de marcação importante.

Como pode ver, as “elétricas” não foram incluídas, já que hoje fazem  parte de qualquer lista.

Não é necessário falar sobre a necessidade de cuidados, tanto quanto ao uso, a manutenção, como na ‘guardação’, digamos assim.

Destes, o guardar deve ser de forma que fiquem bem protegidas e, também acessíveis ao uso, que pode ser repentino e rápido.
Confira também: 
  - Como fazer para montar um-“kit de ferramentas geral” para dar conta dos consertos em casa 
  - Como fazer para as mulheres darem conta dos ‘consertos’ em casa 
  - Como fazer para eliminar facilmente a ferrugem de suas ferramentas
Para evitar a ferrugem, o uso de verniz nas partes ‘enferrujáveis’ pode ser uma boa ideia, desde que isto não comprometa o seu uso e eficiência.

Um detalhe importante é manter as ferramentas cortantes bem afiadas. Se optar por fazer isto você mesmo, lembre-se de que o ideal é com o uso do esmeril, embora alguns casos ‘menores’ possam ser feitos com uma lima.

Com o esmeril, haja com cuidado e atenção e proceda constantemente o resfriamento para que não corra o risco de ‘destemperar’ e perder sua ferramenta.

Você pode deixar um “kit” mais acessível, que pode se levado quando se deslocar, e para isso use uma caixa de ferramentas adequada. Você pode ter uma boa ideia de como fazer uma clicando aqui.

No mais, é ficar ligado em suas ferramentas, sobretudo naquelas pouco usadas, para que não tenha alguma surpresa com ferrugem ou corrosão, daí a observação e cuidados permanentes.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sábado

Como fazer para sair do improviso/insegurança e organizar seus fios e tomadas em casa

Apesar ‘todas as modernidades’ que acometem o setor eletroeletrônico, não dá para prescindir dos fios e tomadas de todo tipo, que se encontram hoje por toda a casa, logo, o ideal é colocar um pouco de ordem neles.

Ordem tanto para facilitar seu aceso/uso, como por uma questão de segurança, garantindo assim tanto a sua conservação, como dificultar o seu acesso, em caso de residências – e uso – por crianças, ainda não habilitadas para tal.

São medidas simples, mas que têm um bom efeito no sentido organização, acesso e segurança.

Como temos uma população de fios/tomadas, relativamente grande em alguns pontos e ambientes da casa, o ideal é etiquetá-los para facilitar o acesso e uso.

Veja imagem abaixo, o que facilita, também, no uso de benjamins e tomadas múltiplas.

Você pode colocar uma etiqueta com identificação em cada fio/tomada, quando pode usar além das cores, o nome do aparelho, facilitando o acesso. Isso em um cômodo ou sala.
Quando organizar as tomadas e plugs em escrivaninha ou mesa de trabalho, o uso de clips é uma solução bem oportuna e eficiente – veja imagem – quando deve adicionar, também, a identificação, com etiqueta, de cada uma.
É fácil abrir a ‘alça’ do clips e passar o fio, veja imagem.

Aqueles fios, ‘tomadas’, ou plugs de outra natureza: carregadores de celular e fones de ouvidos, por exemplo, podem ser identificados com uma leve etiqueta para facilitar o acesso, assim como deve estabelecer um ponto fixo para guardá-los, para onde deve retornar imediatamente após uso.
Esta imagem abaixo mostra uma forma de organizar, guardar e facilitar o aceso à ‘seus fios/tomadas’. Para isto pode utilizar pedaços do cano de papelão que veem com papel toalha, filmes e sacos plásticos de cozinha, ou você mesmo pode fazê-los, inclusive dando-lhes um toque decorativo, veja aqui.
Assim como, esta imagem abaixo, veja link aqui, quando evita que o fio fique “por aí” e possa até provocar acidentes.
Como deu pra ver, é simples, e fácil, organizar a “fiarada” toda que habita nossas casas hoje, e assim ficar só com o seu lado bom, ou seja, sem contratempos e eventuais acidentes.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

quinta-feira

Como fazer para reaproveitar as ‘gominhas’ com criatividade



As ‘gominhas’, gomas elásticas, ou até mesmo ‘borrachinhas’, são figuras bem comuns e que têm, quase sempre, o destino da lata de lixo depois de usadas.

Sei de uma pessoa que assina um jornal e não tem a mínima ideia do que fazer com tantas ‘gominhas’.

Nestas imagens abaixo vai conferir algumas maneiras de reaproveitá-las em pequenas coisas/usos no cotidiano.

Um detalhe a acrescentar é que o ideal é que sejam usadas em objetos e ou situações no cotidiano, evitando assim o uso em objetos que serão guardados por muito tempo, já que é normal ela ressecar e quebrar, assim como “melar”, o que pode danificar o objeto que estiver prendendo/segurando.
para manter a porta aberta
para abrir esmalte 
garantir vida longa às vassouras e espanadores
para 'dosar' melhor a tinta no pincel


'segurar' os óculos largos


manter 'firmeza' nos cabides
facilitar o uso do hashi
organizar fios cabos e carregadores
marcador de página

Como pode ver, ele pode ser bem versátil, não é verdade? Além de dar uma força na organização e uso de vários objetos, ainda ‘leva’ algo ecológico ao ser reutilizado.

Se gostou deste post subscreva o nosso RSS Feed ou siga-nos no Twitter para acompanhar nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark